31.10.2014
Autor: Box1824

CÉREBRO ANALÓGICO X CÉREBRO DIGITAL

O cérebro humano vem permitindo a nossa evolução ao longo do tempo devido à sua capacidade de se adaptar às modificações do ambiente. Isso acontece desde o início da nossa existência — mas, nas últimas décadas, uma nova variável entrou nessa equação: o ritmo da mudança. Se nos séculos passados ela era lenta, passou a sofrer uma aceleração vertiginosa por causa da tecnologia. A grande questão é: como isso impacta o nosso cérebro? Será que ele acompanha o novo passo para a evolução?

Conforme surgem as tecnologias digitais, nosso cérebro não apenas as utiliza, mas passa a se expandir para elas, tornando híbridos nosso corpo biológico e o ciberespaço. Esse processo é chamado de cibridismo. Se você tem uma conta de Gmail, por exemplo, provavelmente se sente incompleto, limitado e desconfortável quando está sem conexão. Os seus arquivos e fotos esparramados pela web e seu computador, o processamento de texto, a busca digital, ampliam e distribuem o seu ser biológico em simbiose com o digital.

Esta análise complementa o conteúdo do primeiro Trend File levado pela Box1824 em outubro. Neste cenário de 100% conexão em que a ansiedade extrema pelo medo do offline já é diagnosticada como “nomofobia“, o cibridismo é o resultado da nossa relação com a velocidade das mudanças tecnológicas. Clique aqui para saber mais sobre a pesquisa no site da revista Galileu.

Made by:

by

For:

vivo

VIVO - Conectados vivemos melhor